Anjos, existem

Cada indivíduo é 7 bilhões de pessoas ao mesmo tempo. Para cada um no mundo, somos uma instância de nós mesmos: colega da escola, companheiro de time, amado, amigo, rival, chato, simpático, fofoqueiro, confiável, feio, bonito, desconhecido. Há exatos 17 anos, nascia quem seria para mim, hoje, um anjo.

Quando a sorte pausou em me sorrir, foram seus dentinhos que iluminaram o meu caminho. Me ajudou a ver, de maneira única, que sempre pode haver uma nova fornada com pizzas ainda mais saborosas. Me ouviu com uma paciência nem tão grande assim, mas na medida certa para eu aprender a parar de falar.

Um anjo disfarçado de patricinha, que não voa, mas nada e luta. E me ganha raras vezes na batalha naval. Cheia de caráter, e do bom, autoconfiança e autocrítica. Que junta seu tempo ao meu sem segundas intenções. E as primeiras são rir, compartilhar, passar o tempo com alguém especial.

Você sabe, como eu, que o nosso pra sempre é muito fugaz. O encanto passa, a sintonia acaba, os estados mudam, as distâncias mudam. É por saber onde pisa que eu confio nos teus passos. Obrigado por me guiar, anjo. Feliz aniversário, minha bela amiga, minha principessa e patinha!

*Esse texto espera substituir completamente qualquer presente material.